quinta-feira, 9 de julho de 2015

Não há almoços grátis:

Há muito que não escrevo um texto. Não é por falta de temas, mas sim, por falta de vontade. Ando um pouco aborrecido com o que ouço e vejo. Ainda ontem assisti ao debate do Estado da Nação no Parlamento, através do Canal com o mesmo nome. E a minha admiração foi total com o que Passos Coelho nos tentou vender. O País que ele proclamou de certeza não é Portugal.
Portugal está imenso pobre e este governo só sabe produzir pobreza. Basta estar atento aos textos e comentários que são escritos nas redes sociais. Depois de contrariado pelos partidos da oposição não deixou de os contrariar levando os seus correligionários, PSD E CDS, a levantarem-se das cadeiras para lhe bater palmas. Fez-me lembrar as claques de futebol. Triste espectáculo. Até parece que com isto fazem mudar a opinião dos portugueses. De tantas que disse que foi apelidado de mentiroso. E não há dúvida que é isso que ele é.
Está a governar Portugal na base da mentira. Também tem em Cavaco Silva um aliado. Se assim não fosse já há muito que não era primeiro-ministro. Mais a mais que este governo está a governar fora de prazo. Fez quatro anos no dia um de Julho deste ano que começou a governar mas Cavaco Silva deu-lhe mais tempo de vida para lavar a sua face. Mesmo assim não vejo lura de onde saia coelho.
E a prova provada é que tanto Cavaco Silva como toda a comunicação social tenta segurar este governo. Senão vejamos: ontem depois do debate do “Estado da Nação” é que a TVI, Público e TSF deram a conhecer os resultados dessa sondagem. É impossível que esses resultados não fossem do conhecimento antes do dito debate. É o que faz ter no governo assessores que são jornalistas.
Rui Baptista editor de Política da Lusa e agora assessor do actual primeiro-ministro foi dos jornalistas que mais criticou o governo de José Sócrates. Hoje é um lambe botas que só anda atrás de Passos Coelho. Desconfio que até para o Wc o acompanha.
Mas voltemos às sondagens. Sei que a verdadeira sondagem é aquela que se faz depois das urnas fecharem. Mas é mais gratificante ir à frente do que atrás. Refiro-me ao que toca à classificação. Não levem para segundo sentido.
Depois é aterrador a diferença entre António Costa e Passos Coelho. Assim como é aterrador o estado do País. Agora não me venham dizer que se estes resultados saíssem antes do debate o peito que fez Passos Coelho não era o mesmo. Também não era apelidado de mentiroso. Embora saibamos que não passa de um aldrabão.
Assim só deve agradecer a estes órgãos de informação os favores que lhe fizeram. Mas em tudo não há almoços grátis. 

Sem comentários:

Enviar um comentário