quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Acudam o S. C. Freamunde:

A Segurança Social é pródiga em cuidar da saúde dos nossos idosos. Vemos pessoas acima dos oitenta e cinco anos com doenças graves e o Estado (SNS) a ter toda a atenção com esses enfermos. Todos nós somos gente independentemente da idade. Se fossemos realistas e economicistas abstínhamos destes doentes. Mas todo o cidadão merece o carinho e apoio estatal.
Isto vem a talho de foice da “doença” que enferma o S. C. Freamunde. É um ancião que em Março que vem faz oitenta e cinco anos. Há anos que está ligado à “máquina da vida”.
Os seus familiares (sócios e simpatizantes) não o abandonam. Só que as possibilidades financeiras andam pela rua da amargura. Vontade não falta para a sua reabilitação. Só que a sua doença é grave de mais.
Os seus familiares mais directos (Directores) têm lutado contra ventos e marés mas não conseguem parar tal tempestade. É mais virulenta que a tempestade “Ana” que há dias assolou a região Norte do País. E quando assim é resta-nos esperar que ela amaine. Mas não há maneira de ela amainar. Resta desligá-lo. Tudo isto vem a propósito de quem devia de ser o seu doutor e não se interessar pelo doente.
Aqui faz-me lembrar aquele senhor que esteve numa Comissão de Saúde a pedir para não o deixar morrer. Ou por outras palavras: “eu não quero morrer”. É o que falta o S. C. Freamunde pedir a quem tem responsabilidades nos destinos da Junta de Freguesia, Assembleia de Freguesia, Assembleia Municipal e Câmara Municipal.
Mas até hoje que se saiba não moveram uma palheira. Aliás! Faz-me lembrar a passagem na tal Comissão de Saúde: “eu não quero morrer”. Todos envergonhados mas nada fazem.
Daqui faço um apelo. À senhora Presidente da Assembleia de Freguesia de Freamunde nada e criada aqui em Freamunde, ao senhor Presidente da Junta de Freguesia de Freamunde também nado e criado neste torrão que ponha o lugar à disposição do senhor Presidente da Assembleia Municipal de Paços de Ferreira assim como todos os deputados da Assembleia de Freguesia de Freamunde quer sejam do PS ou de PSD.
A hora é de uma tomada de posição. Já basta de sermos menosprezados. Agora compreendo a achega de não haver igreja de Santa Luzia em Freamunde e sim em Carvalhosa.
À única vereadora da Câmara Municipal de Freamunde que também ponha o seu lugar à disposição, ou seja, se o S. C. Freamunde vier a acabar. A sua mãe no lugar em que está agradece-lhe porque era uma verdadeira Freamundense.
Agora voltando-me para o executivo camarário. Se como venho dizendo o S. C. Freamunde acabar vão passar a ser “personas nom gratas em Freamunde”. Podem vir as vezes que quiserem a Freamunde mas daqui faço um apelo aos verdadeiros Freamundenses que lhes virem as costas. Da minha parte assim vou proceder.
Porque não está em causa o S. C. Freamunde descer de divisão. Nunca por esse motivo culpamos seja quem for. Está sim não moverem uma palha para não deixar o S. C. Freamunde morrer.
Depois disse, ele, Presidente da Câmara, que em miúdo vinha a pé ver o clube da sua predilecção. Se assim foi porque não o demonstra agora.
Julgo que em casa do Vice-presidente da Câmara não vão faltar garrafas de champanhe a arrebentar se isso acontecer.
Freamundenses está na hora de manifestarmos o nosso repúdio. Nessa manifestação conto com as forças vivas desta digníssima terra.
Vamos honrar os nossos avós e pais assim com quem teve a honra de fazer nascer este clube que se tornou num ancião que o querem deixar morrer.
Neste momento em que termino este texto corre-me uma lágrima pela face abaixo. Também julgo que quem o lê e se sente um verdadeiro Freamundense lhe correrá uma lágrima pela face abaixo.
É que atrás do S. C. Freamunde vai acontecer a outras instituições. Por exemplo o Capão à Freamunde e a Santa Luzia.
Este é o meu apelo a todos os verdadeiros Freamundenses.

Sem comentários:

Enviar um comentário