segunda-feira, 23 de março de 2015

Chiqueiro de porcos:

Todos sabemos, ou devíamos saber, que para haver um chiqueiro tem de haver porcos. Portanto, não há chiqueiro sem porcos ou, porcos sem chiqueiro. Vem isto a propósito, um pouco tarde, que João Araújo foi benevolente com a frase dita à jornalista, se é que se pode chamar “jornalista”, a uma pessoa que persegue um homem que depois de dizer “desampare a loja”, continua a massacrar. 
Mesmo depois de lhe ser demonstrado que ela está a mais nessa reportagem. É que o CM é como a lapa: agarra-se à rocha e não a larga. Só com a força da onda de água é que é retirada. 
Mas, Tânia Laranjo, mesmo com a onda da água a querer retirá-la não havia maneira de se soltar. Depois arvoram-se em jornalistas! São como disse: uns perseguidores. 
Mais tarde arma-se em vítima. Coitada! Não sabe distinguir, ou não quer saber, que o CM é um chiqueiro de porcos. 
Tudo faz para emporcalhar quem se lhe meta à frente. Mas a culpa não é deles. É de quem lhes dá a “ração” para sobreviver. 
Por mim bem morriam à fome.

Sem comentários:

Enviar um comentário