quinta-feira, 5 de março de 2015

A discórdia (1):

Como num texto que escrevi há dias sobre a “pequena” obra que está a acontecer no centro de Freamunde, mais precisamente no Largo de S. António até Xistos, nunca pensei que ia causar tanta celeuma. Mas ainda bem. O meu intuito é fazer acordar consciências que estavam adormecidas, principalmente, nos últimos quatro anos de governação PSD na Junta de Freguesia de Freamunde.
Foram quatro anos para esquecer. E, admira-me que hoje venham criticar destrutivamente o que está a ser feito em Freamunde. São as árvores, são as estradinhas e vielas e outras coisas mais. Hoje fazem reparos ao que se faz e não o fizeram quando destruíram as Lojinhas, os Quartos de Banho Públicos, o Lago e a sua Fonte Luminosa.
Aqui se pode ver a verticalidade de certos comentadores. Não sei o seu propósito. De certeza que tem um objectivo. Mas desenganem-se que se julgam que fazer oposição é o deita abaixo.
Fazer oposição é trazer para o domínio público, soluções credíveis. Não é dizer que Freamunde e concelho estão entregues aos “Britos de Carvalhosa”. Parece-me que Carvalhosa pertence ao concelho de Paços de Ferreira e Humberto Brito é um cidadão de pleno direito para concorrer a Presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira. O que lhes faz dizer mal é verem que Humberto Brito está a fazer obra mesmo com a Câmara na bancarrota. Não teve medo de acabar com o reinado dos empreiteiros e pôr os funcionários da Câmara a executar as obras, embora tenha sido ameaçado.
Ou querem fazer como fizeram com Armanda Fernandez. Também para vocês, Armanda Fernandez não era de Freamunde. Que argumentos fraquinhos. Se ao contrário, tivessem concorrido pelo emblema do PSD estaria tudo bem. Que azia! Por isso o não me admirar que os comprimidos Kompensan tenham esgotado nas duas farmácias de Freamunde. Mas não desesperem. Nas restantes farmácias do concelho eles não esgotaram.
Como Freamundense estou contente com o que está a acontecer a Freamunde. Não me importa que as árvores venham abaixo desde que se plante outras de menor porte e com a raiz a crescer para baixo. Por que queiramos ou não as árvores existentes têm mais uns poucos anos de vida e é preciso pensar nisso. Se me dá pena! Dá. Mas é a lei da vida tanto no reino animal como vegetal.
Para os mais cépticos. Ainda hoje de manhã foram desplantadas duas e plantadas no Parque de Lazer. Portanto não se derruba por derrubar. As que dão para plantar plantam-se. O que custa a muitos é ver que Freamunde não está adormecido. Todos os dias há arranjos e limpeza a fazer.
Que diferença dos últimos quatro anos. Só se via duas funcionárias da Junta de Freguesia e um no parque de Lazer. Hoje Freamunde está-se a revolucionar como revolucionários são os Freamundenses. E… não adormecidos ou parados no tempo como acontecia. 

Sem comentários:

Enviar um comentário