quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Movem-se Partidos e Individualidades:

O caso não é para menos. Ocupam-se os lugares mais estratégicos à procura de uma boa publicidade. Como se isso fosse a loção mágica para as promessas prometidas e não cumpridas. Há novos candidatos para lavar a “cara”. Mas não vale a pena porque o povo é sereno. Esquecem-se facilmente e convencem-se que agora é que vai ser a sério.
Os outdoors expostos trazem fotografias com candidatas/os sorridentes e com promessas que mais tarde se tornam surrealistas. Mas enquanto isso o que é preciso é iludir o meliante que o militante há muito que sabe que é utopia porque a conjuntura se tornou adversa.
O outro governo que já saiu há quase três anos ainda serve para bode expiatório. Se não fosse ele Freamunde estava melhor:
A Casa da Música concluída. A piscina não era um pavilhão que mais parece onde está instalada a SUMA e as Festas Sebastianas. Ao contrário de outra.
As obras no centro cívico de Freamunde estavam concluídas ou não se tinham alagado porque havia dinheiro para a sua manutenção.
O Sport Clube de Freamunde não tinha descido porque os subsídios da Câmara Municipal tinham chegado a tempo e horas.
O impasse para arranjar Direcção não existia. Era logo à primeira. A Capital do Móvel não tinha entrado em dificuldades e podia dar o patrocínio da publicidade que era usual ao Sport Clube de Freamunde.
Os buracos existentes nas várias artérias de Freamunde estavam todos tapados.
O Parque de Lazer bem conservado - como outro perto de nós. Não se via o lixo como há dias verifiquei quando ali me desloquei. A erva que ali existia, cada vez é menos, o que leva os seus visitantes irem munidos com uma manta para se sentarem e assim não se sujarem com o pó da terra. Assim, nem relva nem ervas.
As silvas e mato que em certos passeios das artérias é uma constante. O que faz com que os seus utilizadores se desviem, mesmo com carros de bebé, para a estrada, para não serem picados. Qualquer dia não são picados mas atropelados.
A relva nos canteiros, pertença da Junta de Freguesia, a ficar à cor de um clube do concelho: amarela.
Os baloiços das crianças que estavam colocados em frente à antiga loja do senhor “Armandinho” Oliveira, há tempos retirados e nunca mais colocados. Parece que o intuito é tirar as poucas crianças que ali se deslocavam para o Parque de Lazer.
Isto tudo que relato é culpa do anterior governo. Se não fosse o sacana do José Sócrates tudo resplandecia e Freamunde era um oásis.
Não era preciso mudar de candidato a Presidente da Junta de Freguesia e uns tantos vereadores.
A Assembleia de Freguesia reunia uma vez por mês com os munícipes a dar a sua opinião e quando não houvesse consenso de quinze em quinze dias.
Quase que não era preciso haver eleições porque o povo estava contente com a vereação que Deus lhe deu.
E… assim não tínhamos esta chatice de ver os lugares escavacados com outdoors de fotos de pessoas todas sorridentes com trabalho prometido e prestado.
Mas se assim fosse do que devíamos falar! Também não podíamos dizer: “Movem-se Partidos e Individualidades”.

Sem comentários:

Enviar um comentário