quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Freamunde e os CTT:

Freamunde é um nome milenário, genitivo de “Fredemundus”, de origem germânica. Raiz para a paz "Frea" (de FRIJUS) e associação para protecção (de MONDE) aglutinar-se-iam para formar Freamunde. O topónimo "Freamunde", passou a denominar este recanto, a "terra de paz e protecção" ou "apoio na paz", a paz necessária aos Suevos que por cá se fixaram, por volta, de 410, vindos da Germânia aquando das invasões bárbaras.
É uma cidade portuguesa entre Douro e o Minho com uma população de quase oito mil habitantes. Bastante industrial onde tem uns poucos de polos de indústria. O comércio não tem tanta pujança. Por isso a indústria e o comércio originou os industriais e comerciantes a adquirir uma Posta-restante nos CTT de Freamunde.

É uma terra com bastantes reformados onde estes se valem dos CTT para receberem mensalmente a sua reforma. Além de outros reformados de freguesias limítrofes e de outros concelhos que ficam mais distantes do que dos CTT de Freamunde. No concelho há dois Postos dos CTT. O concelho tem aproximadamente cinquenta e três mil habitantes.
Ora se for retirado os CTT de Freamunde quer dizer que só fica um posto para acudir a cinquenta e três mil habitantes. Além de ficar muito longe da parte norte do concelho. É que o Posto dos CTT de Freamunde serve essa parte norte do concelho.
Lembro-me e já não sou criança nenhuma dos CTT de Freamunde. Ainda recordo de quando eram junto ao campo da bola da Feira onde ali jogávamos à bola e sempre com receio de partir algum vidro das portas. Há quantos anos! Depois passaram para o lugar em que estão hoje.
Há muitos anos também houve um qualquer iluminado que queria acabar com o Posto dos CTT. Mas ficou só pela intenção. É que a população uniu-se toda ao toque a rebate dos sinos da Igreja Matriz, Capela de S. Francisco e a de S. António esta a morar paredes meias com o Posto dos CTT.
Mas naquela altura havia união e quem liderasse. Não se trazia a política para estas lutas. Era todos por um e um por todos. Mas os tempos modificaram-se. Hoje é um por um o que já não é mau. A liderar não aparece ninguém. Só nos fiamos no partido A ou B.
E quando deixamos os interesses do burgo entregue a quem sei lá e de fora estamos a rejeitar o nosso mais elementar direito: a nossa cidadania.
Tenho feito apelos a ver se aparece alguém para se marcar uma reunião para se combinar formas de protesto e de luta mas ninguém corresponde.
Faço mais um apelo aos vários Freamundenses de gema para nos organizarmos. É como disse: não vamos deixar este problema em mãos alheias. Sempre que o deixamos saímos prejudicados.
Mais uma vez rogo. Vamo-nos unir e lutar por este torrão que nos merece respeito e sacrifício.

Sem comentários:

Enviar um comentário