segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Do que me havia de lembrar:

Fui dar um passeio até à Póvoa de Lanhoso usei o itinerário de Guimarães, S. Torcato e ao passar nesta localidade deparei com o majestoso Santuário de S. Torcato na referida freguesia, de que tanto se fala por diversos motivos. Sendo o mais usual as obras de "Santa Engrácia" como vulgarmente, se ouve falar.
É que quando uma obra ultrapassa o seu tempo de duração, ou seja, nunca mais termina, alcunhamo-la como obra de Santa Engrácia.

Como ia referindo ao abeirar-me do dito Santuário deparei com uns retoques ainda ali existentes. O que levou-me a matutar: porque não dizer também "como as obras de S. Torcato". Não vinha mal ao mundo se usássemos essa expressão. Afinal o povo português é rico em adjectivos.

Depois desse pensamento voltei a matutar. Ando eu para aqui a fazer críticas ao que é dos outros quando na minha terra tenho exemplos iguais!
Diz o leitor quais! Vou apenas referir um para não alongar muito a minha escrita.
Há quanto tempo está o futuro Quartel da GNR para ser inaugurado? Há um bom par de anos! Será que esta obra vai ter fim? Pelo andar da carruagem dizem que não.
Há outros que dizem que que houve foi uma má solução. Que naquele edifício (antigas Escolas de S. Cruz) não pode ser porque está paredes meias com a Sede da Associação Musical de Freamunde e segundo a lei não pode funcionar assim. Agora pergunto eu! Tantos anos e tanto dinheiro gasto para nada!
Onde está instalado o Quartel da GNR era o edifício da Junta de Freguesia de Freamunde. Todos temos noção que onde funciona a Junta não há condições para receber quem ali se dirige. Há columbófilos que as suas pombas têm melhores condições que os funcionários que ali laboram e quem ali se desloca.
A partir de hoje sempre que passe por S. Torcato não vou reparar nas obras inacabadas (Santa Engrácia) porque a temos na nossa terra.

Sem comentários:

Enviar um comentário