terça-feira, 2 de maio de 2017

O Novo “PRIOR” DO CRATO!

crato_coelho1
Eu não sei se o Crato é do Crato mas, como tal nome transporta, se não é do Crato o Crato é dele. E assim de alguém fez novo “Prior”, porque o outro do Crato só tinha o nome.
O outro, segundo reza a História, era António e, em vez da carreira eclesiástica, abraçou com capa e espada a causa pátria. Ser apelidado de “Prior” é, portanto, um logro. Mas o que a mesma História também diz é que terá participado, ao lado de D. Sebastião, na batalha de Alcácer Quibir e que se terá feito passar por padre para ser libertado. E que, com ele na defesa da pátria e da grei, Portugal ficou sessenta anos nas mãos dos Filipes…Um “Prior” de meia tigela, é bom de ver… ou” fajuto”, como dizem os Brasileiros dos feitos condes e viscondes…
Mas o Crato, sendo Crato mesmo não sendo do Crato e conhecendo certamente a pífia história do tal “Prior”, resolveu dar o seu contributo para o apagamento desse embuste ligado ao seu nome e resolveu reescrever a História. Então, em entrevista ao DN, veio dizer que o seu novo “Prior”, mas este por si transportado a “Herói Nacional”, se chama Pedro! De quem foi fiel escudeiro para a educação dos portugueses e das portuguesas, tendo conseguido o heróico feito de, pagando menos aos professores e tendo imensos alunos com pais desempregados…com ele o ensino tenha substancialmente melhorado! Assim como a emigração, o desemprego e a fome.
Mas o seu novo “Prior”, foi por si elevado não só a novo “Prior” mas também a “Herói Nacional pois, segundo a sua matemática visão, pegou num país falido, sem dinheiro para pagar salários dali a dois meses (sim, porque um país falido não recebe impostos…) e disse-lhe: “Vamos conseguir”! E que, com o grande esforço de todos os portugueses, não se esqueceu de acrescentar, “conseguiu”. O quê? Isso não disse!
Ora daqui resulta que, segundo o nosso matemático transformado em filósofo, quem terá “conseguido” esse tal feito terão sido os portugueses e as portuguesas, mas que o “Herói Nacional é ele, o novo “Prior”, pois terá catapultado os tais portugueses para esse heróico desígnio de salvar a Pátria para que esta continuasse a ser uma nação valente e imortal…
Que este Crato é um pândego a gente já sabia, menos ele que, mesmo assim, ainda não o descobriu. De igual modo que o seu patrono, insistindo em ostentar o “pin” identificador do seu amor pátrio, também ainda não realizou que já não é há muito, nem nunca foi, o tal “salvador” e é, quanto muito, um sebastiãozinho tão perdido no nevoeiro das suas “batalhas” que, até o Júdice lho lembrou, só ele ainda não se convenceu de que já não o é.
Com o outro entraram cá os Filipes e com este entrou a Troika que, tal qual os Filipes, vieram resgatar esta ditosa pátria dos desmandos, da luxúria, do pecado, da cupidez e do desnorte de um povo transformado em gastador compulsivo, tanto em vinho como em “gajas” e com um salário mínimo vergonhoso de tão alto que ele era!
Mas o Sr. Prior mais a Madre Superiora resolveram agora, de há uns tempos a esta parte, mudar os seus teológicos princípios e estão a abandonar as críticas às evidentemente bem-sucedidas políticas deste governo, aceitando que os resultados são bons, que realmente a economia e a vida social melhoraram, mas que tudo se deve às políticas do anterior governo, do seu! E que fariam tudo igual, também dizem…
Já agora, Sr. Prior, travista-se de padre, como o outro, para ver se ainda o levam a sério… Em “Herói Nacional” do Crato, que do Crato ninguém conhece…
PS, que quer dizer, “pensamento sério”: A “Madre” diz que vai a Fátima em peregrinação para ver o Papa. E você, Sr. Prior? Deixa-se ficar?
(Joaquim Vassalo Abreu, 01/05/2017)

Sem comentários:

Enviar um comentário