domingo, 21 de fevereiro de 2016

A despedida de Carlos Pinto:

Pelo que leio no Facebook e ouço dos meus amigos esta história deve estar mal contada. Segundo li, Carlos Pinto teve uma entrevista, não sei qual o órgão de comunicação social, que o S. C. Freamunde era um clube de bairro.

Ora se isto é verdadeiro acho grave ter uma atitude para com uma terra e clube que o recebeu da melhor maneira possível. E o S. C. Freamunde faz dia dezanove de Março oitenta e três anos. Já passou por tudo mas ser considerado a um clube de bairro é incrível.

Já em tempos teve igual atitude. Quando subimos à 2ª Liga antes da prova ter acabado assinou pelo Tondela e levou-nos metade da equipa. Dizem que foi por falta de pagamentos a ele e aos jogadores. Se foi assim o S. C. Freamunde continuou e teve uma boa classificação geral. Mas se o Freamunde é um clube que paga mal porque voltou?

Mas a providência divina encarregou-se de cumprir a sua sina. No ano passado andou por dois clubes, este ano foi para outro e não aqueceu o lugar. Será por esses clubes também serem clubes de bairro? Também acho estranho um treinador que antes oito dias tinha assinado um contrato e passados esses dias é despedido. Não me entra na cabeça.

Depois há Freamundenses que criticam a SAD e até dizem que o clube é dos sócios. Isso era noutro tempo. Se não fosse a constituição da SAD o S. C. Freamunde andava pelos regionais. É isso que nos vai acontecer mais tarde. Mas enquanto o pau vai e vem folgam as costas.

Depois se a SAD está a dirigir os destinos do S. C. Freamunde é porque alguém a lá pôs. Houve uma Assembleia Geral e foram eleitos por uma maioria de sócios. Será que estes sócios não são Freamundenses! Os que agora são contra a SAD porque não foram à dita Assembleia Geral! Sei que dos muitos que criticam nem sócios são. Eu sou sócio e não fui à Assembleia Geral mas tenho que concordar com o que ali foi votado. É assim que mandam as regras.

Também dizem que Carlos Pinto foi despedido por não pôr os jogadores argentinos a jogar. Ironia das ironias. No jogo, Freamunde e Académico de Viseu, Carlos Pinto pôs os três jogadores argentinos a jogar e foi despedido! Anda para aí coisas mal contadas.

Não sou a favor de despedimentos de treinadores. Mas entendo que tem de haver uma sincronização entre o treinador e departamento de futebol. De certeza que não havia. E as coisas agravaram-se com a falta de resultados. Em quatro jogos fizemos dois pontos. Com exibições paupérrimas. Falta de entrosamento, sempre a jogar-se para trás, para os lados, raramente chegava-se à baliza adversária e falta de rítimo.

Por isso digo que estou com a SAD. Porque se ela for embora adeus Freamunde aos campeonatos nacionais.  

Sem comentários:

Enviar um comentário