segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Papeis trocados:

Ouvi hoje na Antena 1 uma entrevista de Maria Flor Pedroso ao candidato presidencial Paulo Morais. O que ouvi, para mim, é de um candidato a Procurador-Geral da República. Mas estou equivocado. Para concorrer à Procuradoria-Geral da República, é pelo menos, preciso ser-se formado em direito o que em Paulo Morais não é possível. Por isso aconselhava-o a discutir problemas que digam respeito a directrizes da Presidência da República. Mas não.

Diz mal de tudo e de todos. Para ele todos são corruptos. Claro está sem ele incluído. É de Cavaco Silva, Passos Coelho, PSD, do qual entregou o cartão de militante talvez por não receber benesse nenhuma, de Sócrates, António Costa e até de Rui Rio que o aturou durante bastante tempo.

É uma panóplia de assuntos dos quais não leva um ao Ministério Público. Aliás, já tem um processo do Grupo Lena por declarações que o Grupo Lena diz serem falsas, no Ministério Público.

Acusar não custa. O que custa é provar. Assim com tanta demagogia prevejo que não vai ter um por cento dos votos. Vai ser um Marinho e Pinto em segunda edição. 

Sem comentários:

Enviar um comentário