terça-feira, 12 de janeiro de 2016

O lobo mau:

Gosto desta história e de vez em quando ela vem-me à memória pela rábula muito bem conseguida. O que o lobo – mais tarde apelidado de mau – engendrou para atingir os seus fins. Fez de tudo um pouco. Aliás, quando a fome se faz sentir usam-se todos os meios para a “matar”. Trasvestiu-se de avó da menina para a atrair para a transformar num saboroso pitéu. Não conseguiu os seus intentos e deu o fora como um derrotado.

Esta história faz-me lembrar o candidato a Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa. Trasveste-se de tudo. Usa frases como o lobo mau para atrair o povoléu. E que frases.




















Depois de se dizer e desdizer-se ainda assim faz uns ziguezagues que não lembram ao diabo. Diz-se o mais da esquerda da direita portuguesa. Dá beijos a toda a gente. Visita tudo e todos e até leva uma marmita com comida para almoçar num lar de idosos.

Quando era comentador na TVI não defendia esta classe. Foi a favor de inúmeros cortes que o governo de Passos Coelho fez aos mais velhos e reformados.

Quando um candidato a deputado pelo círculo de Viseu, julgo eu, que intitulou os idosos de peste grisalha, não ouvi Marcelo Rebelo de Sousa a condenar esse energúmeno. É que Marcelo gosta de se dar bem com Deus e o com Diabo. É um lobo mau transformado em cordeiro.

Pela minha parte estou e sempre estive atento a estes cordeiros. Por mim não leva o meu voto. Sou reformado e nunca fui defendido por Marcelo Rebelo de Sousa.

Se a minha opinião tiver valor para quem me lê que não vá na conversa deste lobo mau.

Sem comentários:

Enviar um comentário