quarta-feira, 3 de julho de 2013

Palhaço:

Chamar ao Presidente da República ou a outra pessoa não é crime, quanto muito grosseria. Assim o entende a procuradora Teresa Lima do Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa (DIAP). E a prova disso é que no Parlamento brasileiro há um deputado cuja profissão era de palhaço. Cavaco Silva julga que foi ungido de uma loção qualquer e que não está exposto a este tipo de tratamento. Bem se enganou. E não vale a pena dizer que é preciso nascer-se duas vezes para se ser como ele. A propósito e lembrando uma sentença, aqui a reproduzo e, vejam qual foi a sentença:

Sem comentários:

Enviar um comentário