quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Um Fundo sem Poço:


Vindo de Miguel Relvas nada surpreende. Já não bastava o “visto e ouvisto”. Que raio... até o meu computador não aceita este termo! Vem agora Miguel Relvas com o fundo sem poço. A ser assim não é um poço mas uma cratera. Não há ninguém no governo que o corrija! Tudo isto acontece porque este governo acabou com as novas oportunidades. Que jeito dava a Miguel Relvas. Podia ser que entre os "analfabetos" – como quis este governo denominá-los – aprendesse alguma coisa.
Podia levar como companheiro Pedro Passos Coelho. Era uma dupla terrível! Tipo Tacuara Cardoso e Lima do Benfica. 
O que mais me surpreendente é que os nossos críticos de português – tipo, Vasco Graça Moura – não digam nada sobre as calinadas de Relvas. 
Será que o novo acordo ortográfico inclua “visto e ouvisto” e “fundo sem poço”? Nada me admiraria! 
Já vi um porco andar de bicicleta, um preto de cabeleira loira e um branco de carapinha. Só me faltava ter visto e ouvisto um fundo sem poço.       

Sem comentários:

Enviar um comentário