sexta-feira, 29 de maio de 2020

Pensar na Ana Gomes:

"Não tenho pressa. As eleições são daqui a 8 meses, estou a pensar."


*_*

Ana Gomes está a pensar nas presidenciais. Em que pensará Ana Gomes quando pensa nas próximas presidenciais? Pensa que poderá ganhá-las? Pensa que não as poderá ganhar mas que isso não é importante, o importante é fingir que sim e saltar para o palco? Ou o seu pensamento limita-se ao gozo de nos deixar a pensar no que pensa? Enigmas de arrebimbomalho.

Onde não há enigma é no que se pode pensar de Ana Gomes candidata presidencial. Ver esse acto eleitoral transformado num circo com 4 cavaleiros do Apocalipse populista a disputarem os 4 primeiros lugares é desolador para os apaixonados pela cidade. Esta figura socialista que justifica aplausos incondicionais pela procura incessante de Justiça, seja onde for e doa a quem doer, pelos mesmíssimos critérios justifica crítica e até repulsa.

Não conheço caso algum onde uma denúncia de corrupção vocalizada por Ana Gomes tenha dado origem a alguma descoberta, sequer terá acertado num qualquer processo judicial transitado em julgado, conforme ao teor do seu alarmismo. Se existe, agradeço penhorado que me tragam essa informação para minha ilustração e eventual correcção. Se não existe, então as suas boas intenções podem – e devem – ir para o diabo que a carregue.

Ver um pulha, ou um bronco, a caluniar é triste. Ver quem se concebe como decente a usar a sua publicitada integridade para fazer o mesmo a cidadãos avulsos, inclusive a camaradas de partido que lhe deram poder político no passado quando ela o pediu e até rogou, é pior que triste, é vexante. Ana Gomes, no tanto que é e poderá ser, não honra nem defende o Estado de direito democrático. Isso, pelo menos, é certo a respeito do seu valor como candidata presidencial.

Não vale tudo contra aqueles para quem vale tudo.

POR VALUPI

Do blogue Aspirina B

Sem comentários:

Publicar um comentário