segunda-feira, 19 de junho de 2017

Meu caro Primeiro Ministro:





















Eu sei que sabe que, desde as primarias, passei a ser um seu apoiante incondicional. Desde Abril 74 eu nunca votei em partidos. Votei sempre em pessoas. E até hoje nenhum governo fez o que o senhor tem feito. Falta fazer muita coisa, todos sabemos. Falta acabar com a miséria, falta acabar com a fome, principalmente a das crianças! Não dá para entender como é que em 43 anos de democracia nenhum governo acabou com a fome, com os sem abrigo, com a miséria em que vivem a maior parte dos velhos portugueses, com as reformas de miséria, com a vergonha dos nossos ordenados mínimos, enquanto o que já foi roubado por dois ou três "colarinhos brancos" dava para tornar este país muito mais decente.
Mas graças a si, assistimos a uma grande volta no país. E posso garantir-lhe que todos nós nos sentimos melhor. Governar com comunistas e bloquistas não deve ser fácil. Subir a economia, baixar o desemprego, baixar o deficit (detesto esta palavra) não é para todos e, the last but not the least, o senhor deu-nos optimismo! Portugal está na moda, e muito se deve a si! Até aquele tétrico personagem da cadeira de rodas, o Wolfgang Shauble, já diz bem do seu governo. E, enquanto aquela espécie de "oposição" não parar de dizer disparates, o senhor vai crescendo, crescendo, imparável!
O "bailarico" que o senhor dá no Parlamento, diverte-me mais do que os Monty Python!
Hoje venho pedir-lhe um favor. Em vez de submarinos (para quê, para a pesca da sardinha?) e caças de guerra (para bombardear o quê?), o meu caro primeiro ministro compra uma dúzia de helicópteros e manda-os sobrevoar as nossas florestas maiores, 24 por dia, durante todo o verão, para evitarmos a tragédia dos fogos! Uma dúzia de helicópteros não chega? Então compre duas! Ou três!
Se as nossas prisões estão apinhadas, então mande os presos limpar a nossa floresta! Não chegam os guardas prisionais? Mande soldados tomar conta deles! Nada é pior do que a morte de sessenta inocentes!
Tenho a certeza absoluta que o primeiro ministro de Portugal vai tomar uma atitude. É tempo de pararmos, de uma vez para sempre com desgraças como a que acabámos de assistir em Pedrógão Grande. Um horror de mortos porque não existe vigilância na nossa floresta!
E, já agora, dar alguma dignidade a esses heróis, os bombeiros, os soldados da paz! Li que eles ganham 1.87 euros por hora! (?)
Eu não acredito!
Por amor de Deus.

Seu admirador,

Victor Espadinha

Sem comentários:

Enviar um comentário