domingo, 3 de abril de 2016

46ª Feira do móvel em Paços de Ferreira:

Começou ontem e prolonga-se até ao dia dez de Abril e até teve no dia três de Abril, hoje, honras televisiva por parte do canal da SIC. Mas a feira do móvel não tinha o valor que tem se Freamunde não tivesse contribuído com a indústria do móvel que as suas duas fábricas, "Fábrica Grande" de Albino de Matos Pereira & Barros e a "Fábrica do Calvário" de António Pereira da Costa, no inicio do século passado.
Foi aqui em Freamunde que nasceu o móvel que com o avanço da tecnologia sofreu alterações ao longo destes anos mas sempre com a supervisão das várias fábricas ou oficinas ainda aqui sediadas.

A direcção da Associação Empresarial de Paços de Ferreira não faz nenhuma referência no seu historial sobre a contribuição que Freamunde teve na criação do móvel.

Devia de ser obrigatório, quer a Câmara Municipal, quer a dita associação, inaugurar em Freamunde um museu do móvel. Acho que Albino de Matos e António Pereira da Costa eram merecedores desse museu. Mas não. É sempre habitual os que nada contribuem serem os "heróis".

Entendo que as forças vivas de Freamunde deviam reivindicar o que lhes é devido. Deixarmos de ser cooperantes com tudo o que o concelho quer fazer à nossa custa.

Vou terminar sem deixar de incluir um vídeo sobre a homenagem ao Marceneiro, nado e criado em Freamunde, que o Grupo Teatral da Associação Cultural e Recreativa Pedaços de Nós levou à cena intitulado em Ser Marceneiro da peça "Freamunde de Ontem e Hoje" . 

Sem comentários:

Enviar um comentário