quarta-feira, 3 de julho de 2013

O nosso património (1):

"À Praça"

Oh Praça da nossa terra 
És o orgulho da vila,
Mictório que nunca encerra 
Há lá sempre um cu que asila.

És a pensão dos mendigos,
Abrigo dos namorados
Más línguas mas bons amigos
No banco dos reformados.

Aí quantas noites inteiras,
Reunidos junto de ti,
Foram abertas barreiras
Que a PIDE tapava aqui.

Quantas obras prometidas
A ti Praça abandonada,
Por teus filhos esquecidos
No pelouro da fachada.

Versos autoria: Rodela  

Sem comentários:

Enviar um comentário