sexta-feira, 28 de junho de 2013

Nacos de vida. Poesia de Rodela:

Cravo de Abril sorridente

Ó que cabecinha a minha
que já só fala de cor
esta minha cabecinha
parece um computador.

Pensou demais não devia
mas agora nem pensar
voltar a pensar um dia
deixou a fonte esgotar.

Minha pobre cabecinha
que nem pareces a minha
cravo de Abril sorridente.

Tanta vida e tanta luta
e tanto filho da puta
a rir por te ver doente. 

Sem comentários:

Enviar um comentário