segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Quem te viu e quem te vê:


O tempo que este mês de Fevereiro nos trouxe está como Freamunde: triste e envergonhado. Não me refiro só a Freamunde futebolisticamente – segunda liga – porque neste aspecto não vejo salvação, embora reconheça, o esforço feito pela Direcção. Freamunde outrora uma terra que pedia meças a qualquer uma, mesmo que fosse sede de concelho, está hoje moribunda.
Não há interesse dos seus habitantes. Parece que estão à espera das eleições autárquicas que se vão realizar em Setembro ou Outubro. Para depois acontecer o mesmo. O PSD ganha com minoria e volta tudo ao mesmo.
Enquanto não deixarmos os partidos para segundo plano e não valorizarmos o sentimento local não vamos a lado nenhum. Enquanto estivermos à espera de um candidato nomeado pelo partido A ou B vamos de mal a pior. O que os partidos locais pretendem é mostrar aos seus líderes a força que tem para depois serem eleitos para outros voos a nível nacional. Se assim não fosse não entendo como não se dá um murro na mesa e põem o lugar à disposição de quem os convidou para assumir essas funções.
Promete-se mundos e fundos e depois o que se têm para oferecer é o desleixo e o abandono. Nunca vi Freamunde tão mal. É na limpeza, nas acessibilidades, no arranjo dos seus jardins, nas fontes luminosas, – Praça 1º. de Maio e 19 de Abril – que há um bom par meses nem água possui para as movimentar. Tudo ao abandono.
O investimento que tanto custa a pagar está ali à mercê de quem se lembre de o furtar para o ferro-velho. O quiosque que se construiu para albergar a lojinha do Sousa está a servir de guarida aos ratos. Tudo isto parece de pouca monta mas ficou caro ao erário público.  
Por estas e outras Freamunde faz-me lembrar este mês de Fevereiro: ora faz chuva ora faz sol.        

Sem comentários:

Enviar um comentário