sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Freamunde… um desleixo:


Quem por aqui passa deve-se pasmar com o desprezo que Freamunde está votado. Também quem me lê deve dizer que não compreende as minhas críticas. É o gostar deste torrão que me leva a fazer isso. Tenho boas relações com quem dirige os destinos de Freamunde e o concelho de Paços de Ferreira. Por nutrir por eles simpatia não deixo a crítica. Não estão ali com a minha contribuição mas respeito quem se dedica à causa pública. E como ouço várias críticas ditas em baixa voz e quase anónimas leva-me a escrever vários textos a ver se os espevito no que concerne ao arranjo de Freamunde.
O centro está uma miséria. O que há pouco tempo dava gosto ver, quanto à limpeza, hoje dá dó ver como se encontra sujo. Pedras de lousa que em tempos embelezavam os muros, há tempos que estão fora de sítio, ou seja, no chão, sem que haja alguém que ordene a sua postura no lugar devido.
Passeios mal-arranjados, com buracos ou altos, o que origina a queda de pessoas com deficiências ou idosas. Já assisti a várias quedas com ferimentos.
As estradas com o alcatrão todo esburacado. A que vai para Figueiró é remendo atrás de remendo e buraco atrás de buraco. O imposto de circulação que os automobilista pagam não vale de nada.
Parece que há um conluio entre a Câmara Municipal e as mecânicas de automóveis por causa do material que é deteriorado: suspensões e amortecedores.
Como disse, Freamunde está enfermo. Cada vez piora mais. E, parece uma doença maligna.          

Sem comentários:

Enviar um comentário