quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

O Joaquim, o Agente e o cão:


Ao ler a crónica de Ferreira Fernandes (aqui) veio-me á memória a história do Joaquim, do agente da autoridade e do cão. Como todas as histórias começam – era uma vez ou um dia – também esta começa. 
Um dia o Joaquim caminhava pela via pública e atrás de si seguia um cão. Nesse momento surgiu um agente da autoridade que lhe pediu a documentação do cachorro. O Joaquim disse ao agente que não tinha documentação porque o cachorro não era dele. 
Este diálogo acontecia enquanto os três – Joaquim, Agente e cachorro caminhavam. Como não é seu se ele o acompanha? Disse o agente. 
Por essa ordem de ideias o senhor agente também me pertence porque me vai acompanhar – arrematou o Joaquim. 

Sem comentários:

Enviar um comentário