terça-feira, 1 de novembro de 2016

Os cemitérios voltaram a estar muito concorridos:

E os mortos que ali se encontram se pudessem falar ficavam obrigados a António Costa e Geringonça por voltarem a repor o seu dia. Porque retirar o que era deles foi fácil. O Governo da altura não sofreu contestação porque quem se encontrava nos cemitérios não podia reclamar.

Os vivos, os que se encontravam à superfície da terra, também pouca força fizeram. A Igreja Católica também não fez alarido. Devia ser esta a lutar por quem não tinha voz.

Hoje foi diferente. Foi um dia que a qualquer hora ali se encontrava um familiar, um amigo a visitá-los. Eu visitei uns poucos de amigos e os meus pais. Soube-me bem.

Por isso o meu agradecimento à Geringonça por voltar a dar o Dia-de-Todos-Santos como feriado. É que não sendo um dia em que se comemora a alegria ao menos comemorou-se a gratidão que devemos a quem ali se encontra.

Por isso voltar a ver os cemitérios de Freamunde bastantes concorridos. Quem ali jaz merece-o.

Não é um dia feriado que deita o País a perder.

Sem comentários:

Enviar um comentário